Arqueólogos descobrem duas cidades maias na selva mexicana

Arqueólogos descobrem duas cidades maias na selva mexicana


Uma equipe de arqueólogos eslovenos descobriu duas cidades maias nas selvas do México.  Tamchén e Lagunita estão localizadas na Reserva da Biosfera Calakmul (na ponta sudeste da península de Yucatán), que é a maior reserva de floresta tropical no México e lar de inúmeras ruínas maias e sítios arqueológicos.
A selva tem uma área particularmente densa e de difícil acesso. Por essa razão, de acordo com o History Blog, os pesquisadores tiveram de contar com levantamentos aéreos, guias locais e geodesia para localizar as ruínas das cidades.
Entretanto, uma das cidades, Lagunita, já tinha sido descoberta pelos pesquisadores anteriormente. Em 1970, o americano Eric von Euw, visitou o local e estudou algumas de suas características arqueológicas.
Porém, ele nunca publicou o seu trabalho (que também tinha esboços de alguns monumentos) ou registrou a localização da área. Mas, os seus trabalhos estão agora na posse do Museu Peabody de Arqueologia e Etnologia de Harvard.

A descoberta

Ivan Šprajc, líder da equipe de arqueólogos que fez a descoberta atual, disse em um comunicado de imprensa: "Encontramos o local com o auxílio de fotografias aéreas, mas fomos capazes de identificá-lo como Lagunita somente depois de avistarmos a fachada e os monumentos, comparando-os com os desenhos de Von Euw, que o renomado especialista na civilização maia, Karl Herbert Mayer, disponibilizou para mim".
Foi o próprio Šprajc que descobriu a outra cidade maia (Tamchén) na mesma área no ano passado. Tanto Lagunita quanto Tamchén são grandes sítios arqueológicos, sendo caracterizados por templos em pirâmide, quadras, colunas, praças e outras estruturas.
Segundo o Smithsonian, o nome "Lagunita" foi dado a esse local por von Euw. Já o nome do segundo local, Tamchén, significa "poço profundo" no dialeto local e faz referência a mais de 30 buracos que foram encontrados na cidade e que, provavelmente, eram utilizados para a coleta de água da chuva.

Tempo

Uma exploração inicial indica que ambas as cidades estavam em seu auge no período de 600 a 1000 d.C.. , que marcou o apogeu da potência regional dominante: o reino de Calakmul. De acordo com o History Blog, em Lagunita existem inscrições nos altares e nas colunas, sendo que uma delas é datada como “29 de novembro, 711 d.C”.
Tamchén tem muito em comum com a sua vizinha Lagunita, com grandes edifícios dispostos em torno de praças, um templo pirâmide, um pátio com três templos em cada lado, altares e colunas. Mas ela é significativamente mais velha, remontando a origem ao período de 300 a.C a 250 d.C.
Há muitos aspectos intrigantes nessas cidades que podem abrir uma nova janela para a história maia. Ambas as cidades parecem ter sido abandonadas por volta de 1000 d.C, compartilhando o destino de outras áreas dominadas por esse civilização, mas algumas colunas foram modificadas algum tempo depois de terem sido originalmente erguidas, enquanto características pós-clássicas foram encontrados em outras.
Estes fatos refletem continuidades e rupturas nas tradições culturais, mas a sua importância para a compreensão da geografia política e história da região ainda permanece um mistério.
Arqueólogos descobrem duas cidades maias na selva mexicana Arqueólogos descobrem duas cidades maias na selva mexicana Reviewed by Leonardo Martins on setembro 02, 2014 Rating: 5

Nenhum comentário